Lipoaspiração

images

Este é um prospecto de responsabilidade da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

Você não se sente bem com seu corpo? Tem interesse em fazer uma cirurgia de lipoaspiração?

Então, leia esse prospecto até o final. As informações que se seguem são importantes para você saber sobre as vantagens, os problemas e os cuidados que a pessoa deverá ter ao se submeter a essa cirurgia, que, certamente fará com que se sinta melhor, mas nunca substituirá um estilo de vida saudável, que o paciente terá que manter após a intervenção.

O que é lipoaspiração?

Lipoaspiração é o nome dado a uma técnica que consiste em retirar o excesso de gordura através de um aparelho de sucção ou seringas. Por sua vez, a lipoescultura consiste em utilizar a própria gordura retirada para modelar partes do corpo ou preencher depressões. Ambas são procedimentos que podem ser realizados isoladamente ou associados com intervenções outras, tais como as plásticas totais ou parciais de abdome ou de face.

Quem são os melhores candidatos?

  • Os que têm pele firme e elástica e estão em boa saúde;
  • Os que tentaram eliminar a gordura através de dietas, exercícios e perda de peso;
  • Os que têm áreas distintas de gorduras localizadas, desproporcionais ao resto do corpo;
  • Os que têm reais expectativas e estão apenas um pouco acima do peso;
  • Os que entendem que a lipoaspiração não é uma substituta para a perda de peso.


Resultados negativos:
cada organismo reage de maneira diferente. Assim, na totalidade de paciente há aqueles que atingem um resultado ideal, enquanto outros podem apresentar resultados negativos, em maiores ou menores proporções, independentemente do trabalho médico ter sido feito com o maior zelo, perícia e cautela.

Entre esses resultados negativos que, felizmente, são raros, o paciente pode apresentar:

  • Irregularidades  na superfície lipoaspirada;
  • Necrose de pele,  por deficiência circulatória(sendo o tabagismo sua maior causa);
  • Embolia pulmonar gordurosa (raríssima);
  • Perfuração de vísceras(raríssima);
  • Flacidez de pele na região lipoaspirada.

Período de recuperação: é variável de pessoa para pessoa, mas em média, no caso de uma grande lipo, gira em torno de 10 dias. A partir daí o(a) paciente começa a ter condições para trabalhar, ainda que com restrições.

Alimentação: a alimentação adequada é importantíssima para prover o restabelecimento do organismo e, para que isso se dê da melhor maneira, ele vai precisar de calorias, sais minerais e proteínas. Portanto, nessa fase, esqueça os regimes.

Edemas e equimoses: até o 20º dias de pós-operatório o edema e as equimoses
(manchas roxas) estarão presentes e fazem parte de um quadro normal de lipo. Este prazo, porém pode ser maior ou até menor, variando de pessoa para pessoa.

Uso de cinta: o uso da cinta, em caso de lipo abdominais, é ininterrupto, já que tem como função moldar o corpo recém esculpido. Por favorecer a aderência da pele, nos primeiros 05 dias ela não deve ser retirada. A cinta é composta  por uma camada de algodão que tem por finalidade acolchoar a pele dolorida enquanto realiza leve compressão sobre a pele descolada.

Cuidado especial: as regiões que receberam enxerto de gordura merecem um cuidado especial, não devendo haver pressão nesses locais para evitar a reabsorção  de gordura enxertada. Via de regra esses enxertos se fazem na face lateral dos glúteos, razão pela qual o(a) paciente não poderá deitar-se de lado, evitando, assim a compressão prejudicial nas regiões enxertadas.

Dor: a lipoaspiração é considerada uma das mais dolorosas cirurgias plásticas e isso se deve ao fato de ser manipulada uma grande área do corpo; todavia, a sensação dolorosa que existe quando o paciente se movimenta, costuma não ocorrer quando ele está em repouso. Seu controle se faz através do uso de analgésicos.

Resultado final: o resultado final de uma lipo costuma se fazer visível após o 90º dia, podendo este espaço temporal variar de paciente para paciente.

Retoque: toda cirurgia plástica traz em si a oportunidade de retoque, pois o cirurgião previdente nunca retira(ou coloca) nada em excesso, já que é preferível fazer um retoque do que ter que fazer um enxerto. Na lipo a possibilidade de um retoque é frequente,    devido ao fato de ser a cirurgia realizada com o(a) paciente deitado e, no momento que se põe de pé, a região lipoaspirada pode apresentar mudanças.

CUIDADOS PRÉ-OPERATÓRIOS:

  • Não tomar medicamentos que contenham ácido acetilsalicílico como: Aspirina, Ronal, AAS e outros, em um período de 7 dias antes da cirurgia, devido à possibilidade dos mesmos provocarem maior sangramento.
  • Não tomar nenhum tipo de antiinflamatório por um período de 5 dias antes da cirurgia, devido à possibilidade dos mesmos provocarem maior sangramento.
  • O uso de medicamentos para emagrecer deve ser informado ao médico.
  • Se a (o) paciente desejar, depilações devem ser feitas no mínimo uma semana antes da operação, nunca no dia anterior.
  • Comprar um “modelador” de lycra que será indicado conforme a área a ser operada. Tamanho: que seja justo, sem apertar ou estar folgado no corpo. Esse modelador poderá ser também encomendado na Clínica.
  • As orientações sobre o encaminhamento ao Hospital, a medicação que a paciente tomará, os retornos pós-operatórios etc, serão entregues por escrito, na Clínica, até 10 dias antes da cirurgia.
  • Comparecer à Clínica após banho completo, no dia anterior à cirurgia, para fotos e marcação. Em caso de internação, a marcação será no Hospital.
  • A (o) paciente deverá manter-se em jejum (inclusive de água) após as 22:00h do dia anterior à cirurgia.
  • Para maior conforto, usar roupas largas após a cirurgia.

CUIDADOS PÓS-OPERATÓRIOS:

  • O paciente permanecerá internado por um período que varia de 6 a 24 horas após a cirurgia, dependendo da extensão de área operada.
  • Na residência o repouso será relativo e se estenderá por um período de 2 a 10 dias.  A (o) paciente poderá movimentar-se, caminhar e alimentar-se normalmente.
  • O uso do modelador de lycra inicia-se na sala de operação e perdura por um período médio de 30 a 60 dias.
  • Alguns pacientes poderão necessitar de massagens em algumas áreas operadas.
  • Deve-se evitar dirigir nos primeiros 10 dias após a cirurgia.
  • Os exercícios físicos são permitidos em média após 30 dias.
  • Deve-se evitar exposições prolongadas ao sol pelo período de 30 dias ou de acordo com a indicação médica (a presença de equimoses ou “arroxeados” contra-indica  a exposição ao sol).
  • Na maioria dos casos o paciente poderá reassumir as suas atividades profissionais ou escolares entre o segundo e o décimo dia de pós-operatório.